Em formação

O retiro do caçador de plantas

O retiro do caçador de plantas


O caçador de plantas Daniel J. Hinkley pode ser mais conhecido como autor, conferencista, convidado da televisão - de Nova para The Martha Stewart Show - e fundador do cultivamente adorado Heronswood Nursery, onde ajudou a desenvolver o artesanato americano, uma planta e uma anedota de cada vez. Hoje, porém, grande parte de sua energia é direcionada para dentro enquanto ele cuida do jardim de seis hectares e meio que ele apelidou de Windcliff.

Um alpinista vigoroso colhido na China, Holboellia grandiflora enquadra a entrada da casa de Hinkley. Foto por: Don Freeman.

“Windcliff é uma odisséia pessoal”, diz Hinkley sobre os terrenos que cercam a casa costeira de Washington que ele divide com seu parceiro, o arquiteto Robert Jones, desde 2004. “É um jardim que conheço intimamente, já que principalmente eu mesmo faço jardinagem.” Ao contrário de seu último espaço, este não é aberto ao público. “É jardinagem para nosso prazer e de mais ninguém.”

A propriedade vira as costas para uma floresta perene e se abre para a extensão dramática de Puget Sound abaixo, com o Monte Rainier bem ao fundo. Em uma extremidade, um punhado de árvores nativas madrona carismáticas (Arbutus menziesii) vigie o penhasco vertiginoso que constitui o maior desafio de design de Hinkley. “Agora tenho que lutar por uma visão”, diz ele. “Como faço para tornar um jardim íntimo e não só sobre a abertura desconcertante do céu e da água?”

Antes de Windcliff, Hinkley dirigiu o Heronswood Nursery por quase duas décadas, onde as instalações de propagação em Kingston, Washington, compartilhavam 15 acres com jardins de exibição e floresta nativa. Hinkley escreveu sozinho o catálogo anual de Heronswood - até 250 páginas - um catálogo que transformava plantas em objetos de luxúria por meio de uma prosa profundamente pessoal, caprichosa e cheia de aventura.

Essa exuberância tinha raízes profundas. “Quando eu era criança, identificar as plantas que cresciam ao redor da minha casa no norte de Michigan era uma experiência excepcional”, diz Hinkley. “Combinando esse fascínio eterno com o amor por viagens e caminhadas, a caça de plantas foi uma evolução natural para mim.”

A “caça às plantas” é mais uma caça ao tesouro do que uma perseguição sangrenta: as plantas são procuradas em seu habitat nativo para serem cuidadosamente amostradas - pense em sementes e cortes em vez de plantas inteiras - e depois cultivadas em jardins para fins que variam de científicos a cosméticos e ornamentais. Hinkley molhou os pés quase três décadas atrás, quando uma licença sabática do ensino de horticultura em uma faculdade comunitária o levou a sua primeira viagem à Coreia do Sul. Hoje, com 20 países sob seu comando, uma média de 16 semanas por ano no exterior e visitas a milhares de coleções, ele é considerado um dos caçadores de plantas independentes mais prolíficos dos tempos modernos.

As colinas e vales remotos da terra, local de trabalho de Hinkley, são um terreno fértil para encontros casuais e momentos coloridos, desde encontrar a rainha-mãe do Butão (cujo lixo estava sendo carregado por uma trilha) até enfrentar um bando de insurgentes maoístas furiosos no nordeste Nepal. Os babuínos o deixaram sem almoço e deslizamentos de terra o prenderam em fragmentos precários do penhasco. “Fico maravilhado em testemunhar todos os fragmentos de cultura que não conheço”, diz Hinkley sobre suas investidas.

Uma lobélia com flor de pêssego (topo) não merece a colocação proeminente de uma variação gigante do Chile (centro), que floresce quase incessantemente e encanta os beija-flores. Lobelia laxiflora, do México (embaixo), ganha uma vaga logo ao lado do pátio principal. Foto por: Don Freeman.

Apesar das emoções, Hinkley insiste que, na maior parte, seu trabalho “não é nada como um filme de Hollywood cheio de ação. Não se trata de pular por um prado de lindas flores. A caça de plantas é metodológica, lenta e acontece no final da temporada em campos de sementes castanhas gastas. ”

No entanto, este caso das plantas tem encantos duradouros. “Não me canso de ver pela primeira vez, em seu habitat natural, plantas que cultivei em casa”, diz. “O momento fica ligado à planta e me ajuda a entender as circunstâncias em que ela cresce e com quais companheiros ela cresce, o que, por sua vez, informa meus princípios de colocação da planta.”

Em 2000, Hinkley e Jones venderam Heronswood para W. Atlee Burpee & Co., que por sua vez vendeu os jardins botânicos e de exibição no verão passado para a tribo Port Gamble S’Klallam, que planeja manter os jardins e permitir o acesso público sazonal. Desde então, Hinkley, agora com quase 50 anos, voltou suas atenções para o jardim que vi se desdobrar desde o seu início, quando viajei de minha casa na Colúmbia Britânica, Canadá, para me tornar estagiário de Hinkley.

Windcliff é um lugar extremamente tranquilo para se voltar. Jones é responsável pela bela casa baixa de um andar que agora domina suavemente o penhasco frontal. Minuciosamente projetada e cuidadosamente localizada, esta residência com telhas de madeira e generosamente fenestrada oferece vistas deslumbrantes sobre o som.

“Como você pode ver os dois hectares da frente de quase qualquer cômodo, realmente penso nisso como uma visão, em vez de um jardim ambulante”, diz Hinkley. “Ele deve ser visto de casa, e grandes montes de plantas foram usados.” Grama do pé de 1,80 m de altura (Austroderia fulvida) é praticamente diminuído por este amplo espaço, e centenas de loiras Nassella tenuissima crie fios longos e sedosos ao longo dos caminhos mais ensolarados e entre os agapantos mais azuis. Hinkley confirma a proporção que resulta do contexto: “As gramas mostraram aqui seus lados mais delicados; eles provaram ser tão apropriados. De que adianta cultivá-los se você não consegue ver através deles? ”

Windcliff pode olhar para Puget Sound e para Seattle, mas seu jardim é o resultado de três décadas de coleta de plantas ao redor do mundo. Aqui, uma fúcsia Magalhães (Fúcsia magellanica) desde as amenas florestas tropicais do sul do Chile até a grama dos pés da Nova Zelândia (Austroderia fulvida), uma robusta palmeira de vento chinês (Trachycarpus fortunei), e salal (Gaultheria shallon), um arbusto exuberante nativo da Costa Oeste. Foto por: Don Freeman.

Da mesma forma, os eucomis, dierama e melianthus sul-africanos, bem como a lobélia chilena gigante e a fúcsia de Magalhães, adotaram seu cenário dramático. O microclima de Windcliff os acolhe. Abençoada por sua proximidade com grandes corpos d'água, esta área do noroeste do Pacífico se classifica como uma amena Zona 8a do USDA. As secas de verão são frescas e aliviadas rapidamente; os congelamentos de inverno costumam durar pouco. “Com solo que vai da areia ao lodo”, acrescenta Hinkley, “tenho gunnera crescendo ao lado de ceanothus. Eu não sei o que escolher! ” Seu olhar fixo em uma árvore de madrona oscilante, Hinkley diz, "e este vento constante mantém a copa das minhas plantas escolhidas mais seca e, portanto, ajuda a prevenir o apodrecimento do inverno."

Hinkley promoveu inúmeras plantas, mas seu maior conselho não se baseia em uma novidade hortícola em particular, mas sim em um ethos geral: “Seja menos manso; experimentar! Eu não estaria cultivando sete espécies de schefflera resistente se tivesse ouvido o que foi dito. ”

Windcliff é um local de testes de estatura olímpica, onde plantas de todo o mundo competem por espaço e atenção. Apenas alguns encontrarão seu caminho para a horticultura tradicional. Esses campeões agora estão sendo lançados sob o rótulo The Dan Hinkley Plant Collection do viveiro de Monróvia, que consiste em itens essenciais de trabalho árduo que agradarão tanto os paisagistas quanto os aficionados por plantas. Isso inclui seu deslumbrante Schefflera taiwaniana ‘Yuan Shan’, um arbusto resistente e sutilmente tropical, com folhas roxas Hydrangea aspera ‘Paixão de Ameixa’. Esta é uma seleção confiável de plantas de alguém que as coletou enfrentando as monções de Sikkim, na Índia, para escolher um melhor Hydrangea aspera e as pastagens altas de Drakensberg, na África, para procurar um agapanthus mais escuro.

Hinkley na verdade tem outros interesses - ele luta com o piano e fala sobre escrever ficção. Mas, neste ponto, essas são empresas privadas. Ainda é a busca obstinada por plantas mais bonitas, mais vigorosas, mais surpreendentes que permite a ele, e a todos nós, a possibilidade de jardins melhores.

Dave Demers é o fundador da Cyan Horticulture em Vancouver, British Columbia.

Veja mais jardins do Noroeste do Pacífico


Em outubro, quando o The New York Post divulgou uma história sobre o laptop de Hunter Biden e investigações sobre corrupção envolvendo um candidato à presidência, uma teoria da conspiração foi lançada para explicar tudo. Contava-nos com todas as características da desinformação russa. Dezenas de “especialistas” em inteligência assinaram uma carta dizendo isso.

O mundo agora sabe que o Departamento de Justiça está investigando o jovem Biden e que isso não foi desinformação russa. Mas alguém precisa contar a Joe Biden.

Na terça-feira, em uma entrevista coletiva, Biden foi questionado por Peter Doocy, da Fox News, se ele ainda acredita que a história é desinformação russa, agora que sua campanha admitiu que a investigação de corrupção é real. Depois de rir por um momento estranho, Biden respondeu: "Sim, sim, sim", antes de repreender Doocy por perguntar a ele sobre isso.

Joe Biden ri quando Peter Doocy, da Fox News, pergunta se ele ainda acha que as acusações contra Hunter Biden são desinformação russa:

"Sim, sim, sim. Deus te ama, cara. Você é um pônei de um cavalo." pic.twitter.com/x8HEvPjpFn

- Chamador diário (@DailyCaller) 22 de dezembro de 2020

Esta é uma afirmação surpreendente de Biden, visto que agora sabemos que o DOJ tem uma investigação longa e contínua sobre os impostos de Hunter Biden. A investigação é tão séria que o procurador-geral William Barr a manteve em segredo para não influenciar a eleição.

Nos últimos dois meses, o próprio Joe Biden nunca contestou um único aspecto relatado da história. Então, com base em que ele acredita que tudo isso é desinformação russa?

Biden se acostumou com uma mídia que não lhe faz perguntas difíceis, mas ele está prestes a nomear um novo procurador-geral cujo trabalho é supervisionar um departamento que está investigando seu próprio filho. Se Biden realmente acredita que não há um caso legítimo contra seu filho, que tudo isso é uma conspiração de Vladimir Putin, então como podemos confiar nele para essa escolha?

Uma coisa seria se ele dissesse que confia no filho, mas quer que os procedimentos legais sejam cumpridos. Em vez disso, ele está citando uma teoria da conspiração desmentida.

A equipe de transição do Biden precisa esclarecer isso agora. É a posição de Biden que a história do The New Post (que os gigantes da mídia social censuraram amplamente) e as histórias subsequentes de outros meios de comunicação são uma campanha de desinformação? Se a resposta for não, eles precisam corrigir sua distorção.

Se a resposta for sim, eles precisam mostrar algumas evidências. No momento, parece que Biden está lançando teorias da conspiração para proteger sua família.


Conteúdo

Sob a liderança de seu antigo e poderoso líder Jozek Mardulak, uma colônia de vampiros busca uma vida pacífica na desolada cidade do deserto de Purgatório. A chave para a transição é a instalação de produção de sangue artificial da cidade e ela simplesmente não está funcionando. Mardulak convoca o designer humano da planta, que traz sua esposa e duas filhas para o que ele acredita que serão férias agradáveis ​​no deserto.

Ethan Jefferson é um vampiro que quer voltar a caçar e festejar os humanos. Logo, o gerente da fábrica e sua família estão envolvidos em uma guerra civil enquanto Jefferson organiza uma revolução.

No meio da guerra civil de vampiros, um jovem descendente da família Van Helsing chega com a intenção de destruir todos os vampiros.

  • David Carradine como Jozek Mardulak
  • Bruce Campbell como Robert Van Helsing
  • Morgan Brittany como Sarah Harrison
  • Jim Metzler como David Harrison
  • Maxwell Caulfield como Shane Dennis
  • Deborah Foreman como Sandy White
  • M. Emmet Walsh como Mort Bisby
  • John Ireland como Ethan Jefferson
  • Dana Ashbrook como Jack
  • John Hancock como Quinton Canadá
  • Marion Eaton como Anna Trotsberg
  • Dabbs Greer como Otto Trotsberg
  • Bert Remsen como Milt Bisby
  • Sunshine Parker como Merle Bisby
  • Helena Carroll como Madge
  • Elizabeth Gracen como Alice
  • Christopher Bradley como Chaz
  • Kathy MacQuarrie Martin como Burgundy
  • Jack Eiseman como Nigel
  • George Buck Flower como Bailey
  • Erin Gourlay como Juliet Harrison
  • Vanessa Pierson como Gwendolyn Harrison

Partes do filme foram filmadas em Moab, Spanish Valley, Thompson Springs, Hittle Bottom e Arches National Park, em Utah. [2]

Em Creature Feature, o filme recebeu 3 de 5 estrelas, observando que foi infundido com vitalidade cinematográfica [3] guia de TV da mesma forma deu ao filme 3 de 5 estrelas, achando o filme agradável, mas que o final desmorona sob sua própria inteligência. [4] A Entertainment Weekly deu ao filme um C-, achando-o anêmico. [5]

  1. ^Em DVD: Sundown: The Vampire in Retreat - A Lost Campy Fave Sobe do Túmulo Film.com
  2. ^ D'Arc, James V. (2010). Quando Hollywood chegou à cidade: uma história da produção de filmes em Utah (1ª ed.). Layton, Utah: Gibbs Smith. ISBN9781423605874.
  3. ^ Stanley, J. (2000) Creature Feature: 3rd Edition
  4. ^ TV Guide (1991) Sundown: The Vampire in Retreat Review. Recuperado em 15/08/2020 https://www.tvguide.com/movies/sundown-the-vampire-in-retreat/review/128257/
  5. ^ Sundown: The Vampire in Retreat (25 de outubro de 1991) Sundown: The Vampire in Retreat Recuperado em 15/08/2020 https://ew.com/article/1991/10/25/sundown-vampire-retreat/

Este artigo sobre um filme de terror comédia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipedia expandindo-a.


PARA VENDA Casa de retiros Hunter’s Wildwood em Alderson, WV


Retiro Hunter’s Wildwood em Alderson, WV 24910

Hunter’s Wildwood Mountain Retreat é uma casa de design exclusivo situada na base da Montanha Muddy Creek e situada em 8,7 hectares de floresta madura com um riacho que desce um canyon.

ATRIBUTOS E DESTAQUES
Casa de design exclusivo situada na base da montanha Muddy Creek e situada em 8,7 acres de floresta madura com um riacho que desce um desfiladeiro.
Casa espaçosa de dois andares com muita luz natural
A casa de 1800 +/- pés quadrados está muito bem conservada e tem vista para as cordilheiras distantes e terrenos da propriedade
3 quartos, 2 banheiros, piso plano aberto no nível superior com área para refeições, sala grande, cozinha e quarto principal separado e banheiro principal. O nível inferior com acesso ao deck inclui dois quartos grandes, sala de bônus, banheiro amplo e despensa.
Gazebo blindado com energia e varandas frontais e laterais abertas oferece ótimo espaço para entreter ou apenas relaxar
Grande marquise oferece uma entrada confortável durante todo o ano

8.741 hectares +/- da verdadeira Appalachian Mountain
Riacho de linha azul de montanha com queda de altitude de aprox. 80 metros do topo da propriedade até a área residencial
Todos os direitos minerais transmitem *
Desfiladeiro com riacho que corta enormes pedregulhos
Terreno ideal para caminhadas acidentadas
Acesso superior adjacente à estrada estadual * Entrega FedEx
Floresta madura incrível com árvores tentando alcançar o céu
Lindos arbustos nativos da montanha Laurel (Kalmia latifola)
Excelentes espécies de madeira incluem belos carvalhos, cerejas silvestres, choupos, açúcar e bordos vermelhos e nogueiras
A área oferece atividades recreativas leves ilimitadas, incluindo rafting, camping, golfe, pesca, natação, caminhadas, observação de pássaros, observação da natureza, escalada e esqui na neve
Floresta madura única oferece vida selvagem excepcional e diversidade de plantas
Perto de Mon NF, 5 parques estaduais, New River Gorge NP e Bluestone Lake com 2.000 acres
Trilhas fornecem acesso a todos os cantos da propriedade
Espécies abundantes de peles de cervos, esquilos, coelhos, ursos negros, esquilos
A vida selvagem alada inclui águias, falcões, corujas, urubus, corvos, peru selvagem e pássaros canoros neotropicais
As elevações vão de 1975 ′ a 1715 ′
Elétrica na propriedade e telefone no lugar
Impostos baixos, densidade populacional baixa
LOCALIZAÇÃO
Coordenadas do Google: 80.625320 W, 37.730008 N
Endereço: 373 Muddy Creek Mountain Road, Alderson, WV 24910
Faixa de elevação: 1975 pés a 1715

CASA E OUTBUILDINGS
luzes
Planta baixa aberta da sala principal de nível superior
3 quartos
2 banhos
Plataformas e varandas excelentes
Construção de toras de qualidade
Maravilhosa marquise com luz abundante
Jacuzzi
Gazebo Protegido com Eletricidade
Os principais aparelhos transmitem
Belo paisagismo e jardins de flores

Dimensões da sala de casa
Nível superior
Sala de estar de 6 x 22 pés
Sala de jantar de 10 pés x 12 pés.
Cozinha 10 pés x 10 pés
Quarto principal 12 pés x 16 pés
Banho Master 6 pés x 10 pés.

Nível mais baixo
Quarto 12 pés x 14 pés
Quarto 12 pés x 14 pés
Banho de 10 pés x 12 pés.
Lavanderia 5 pés x 8 pés
Espaço vital total = 1800 pés quadrados.
Dimensões externas

RECURSOS MINERAIS
West Virginia é um dos estados dos Estados Unidos que possui dois títulos de propriedade separados: direitos de superfície e direitos minerais. Os direitos minerais são considerados intactos e todos os direitos que o proprietário possui serão transmitidos com a propriedade. Uma pesquisa de título mineral pode ser conduzida por um advogado do título ao mesmo tempo em que a pesquisa de título superficial está sendo conduzida.

LIMITES E PESQUISA
A propriedade será transmitida pela fronteira existente. A propriedade está sendo delimitada e não por acre.

ACESSO / FRONTAGE
O acesso é diretamente da rota 40 do Condado de Muddy Creek Mountain Road, uma rota pavimentada de ônibus escolar. A propriedade tem mais de 2.200 pés de fachada ao longo da Muddy Creek Mountain Road.

SERVIÇOS DE UTILIDADE PÚBLICA
Água: Excelente poço
Esgoto: Sistema séptico
Eletricidade: Primeira Energia
Telefone: Frontier e Suddenlink são os principais fornecedores de serviços de linha fixa
Internet: o provedor atual é Frontier Communication DSL, também Suddenlink e outros provedores podem estar disponíveis
Cobertura de telefone celular: Excelente

ZONAGEM
O Condado de Greenbrier está sujeito a alguns regulamentos de zoneamento e subdivisão. Todos os compradores em potencial devem consultar a Comissão do Condado e o Departamento de Saúde para obter detalhes sobre zoneamento, códigos de construção e instalação de sistemas sépticos.
As informações podem ser encontradas no site do condado: http://greenbriercounty.net/ordinances.

TIPO DE PROPRIEDADE / RESUMO DE USO
Hunter’s Wildwood Retreat foi projetado para ser um ano em torno de uma residência nas montanhas.
INFORMAÇÕES DE ESCRITURA E FISCAL
Informação da escritura: Livro de escritura 322 página 418 e Livro de escritura 448 página 612
Área cultivada: 8.741 Acres
ID do imposto sobre imóveis / área cultivada / impostos:
Condado de Greenbrier, Virgínia Ocidental
Blue Sulphur District 3
Mapa tributário 40 Parcela 74
2019 Impostos imobiliários: $ 310,39

ESCOLAS PÚBLICAS
Distrito escolar do condado de Greenbrier
Escola primária pública:
Alderson Elementary School
Escola Secundária Pública:
Eastern Greenbrier Middle School
Escola Secundária Pública:
Greenbrier East High School
Faculdades:
New River Community and Technical College (campus Lewisburg)
Escola de Medicina Osteopática de West Virginia

Escolas particulares:
Escola Episcopal Greenbrier (PK-8)
Greenbrier Valley Academy (2-8)
Academia Batista de Lewisburg (PK-12)
Renick Christian School (2-7)
Seneca Trail Christian Academy (PK-12)

A ÁREA AO REDOR
A Hunter’s Wildwood Retreat Home está localizada nos arredores de Alderson, West Virginia. É uma bela casa de dois níveis com grandes decks, marquise e inclui 3 quartos e 2 banheiros. Hunter’s Wildwood Retreat é apoiado por uma grande comunidade conhecida por seus residentes amigáveis ​​e estilo de vida descontraído. O maior e mais popular desfile do dia 4 de julho no estado é organizado por Alderson. A cidade de Alderson oferece comodidades, incluindo parque da cidade com beisebol e softball, acesso público ao rio, igrejas, escola primária, farmácia, loja de materiais / materiais agrícolas, motel, banco, veterinário, contador, agência de seguros, Dollar General, Family Dollar, gás / lojas de conveniência, clínica médica e restaurantes. Alderson também é o lar do “Camp Cupcake”, a prisão federal de segurança mínima onde Martha Stewart passou suas férias.
O Historic Camp Greenbrier for Boys faz parte da temporada de verão com campistas de muitos estados. Camp Greenbrier existe desde 1898, proporcionando um ótimo ambiente para os campistas e funcionários.
Os entusiastas da água irão gostar de viver no Vale Greenbrier e se beneficiar do Rio Greenbrier nas proximidades. Greenbrier State Park, Moncove Lake e Sherwood Lake são momentos de fácil acesso de carro, assim como o New River, o Lago Bluestone de 2.000 acres, Bluestone State Park e o Pipestem Resort.
Em 5 minutos, você pode pegar o trem Amtrak em Alderson e ir até o Greenbrier Resort, Chicago ou Nova York. O vizinho Aeroporto Greenbrier Valley, com a pista mais longa do estado, fica a apenas 25 minutos de distância e oferece voos diários para Chicago O'Hare e Dulles-Washington DC.
O BSA High Adventure Camp de 14.000 acres fica a cerca de uma hora de carro.

PRÓXIMO NO HISTÓRICO GREENBRIER COUNTY
O Vale Greenbrier e a área circundante são ricamente abençoados com uma grande variedade de eventos culturais que mantêm a vida no vale interessante e satisfatória.
Lewisburg, que é a sede do condado de Greenbrier, foi eleita a cidade pequena mais legal da América, combinando o calor de uma comunidade próxima com a sofisticação de locais mais urbanos. O próspero centro histórico oferece produções ao vivo durante todo o ano apresentadas no State Professional Theatre of WV, Carnegie Hall, restaurantes distintos, lojas de antiguidades, galerias / boutiques premiadas e dois mercados de produtores na temporada de verão. O Greenbrier Valley Medical Center é um hospital moderno e todas as instalações médicas para atendimento, junto com as muitas lojas grandes.
O mundialmente conhecido Greenbrier Resort, com 800 quartos e 1600 funcionários, está localizado nas proximidades da pacata cidade de White Sulphur Springs. O resort 4 estrelas possui um cassino subterrâneo e é o lar do PGA Tour, o “Greenbrier Classic”. Vários outros campos de golfe da área estão disponíveis na área. Escalada em rocha, tirolesa, passeios a cavalo e a trilha de quadriciclo Hatfield-McCoy de mais de 600 milhas são uma área de recreação muito ativa. A trilha do rio Greenbrier é obrigatória para a aventura familiar com seus 125 quilômetros de natureza.
Lewisburg é o lar da WV Osteopathic Medical School (600 alunos) e da New River Community and Technical College. A área é um forte gerador econômico com uma sólida força de trabalho empregada no governo municipal / estadual, turismo, hotelaria, medicina, educação, varejo, construção, produtos de madeira, mineração e agricultura.

Randy S. Burdette, ligue ou envie uma mensagem de texto para 304.667.2897

[email protected]

FOXFIRE REALTY

1029 Washington Street E., Lewisburg, WV 24901

Richard Grist. Corretor, guarda-florestal, leiloeiro.

Telefone do escritório 304-645-7674


O retiro do caçador de plantas

O primeiro Retiro Get Loved Up anual aconteceu entre os dias 19 e 21 de fevereiro.

O Retiro Virtual Get Loved Up é o filho amoroso da Visionária e Educadora de Bem-Estar Koya Webb. Apresentando as melhores conversas, palestras, sessões de bem-estar e demonstrações dos principais defensores do bem-estar do mundo. Este retiro de autocuidado de 3 dias foi desenvolvido para capacitar e inspirar você nas áreas de espiritualidade, bem-estar e empreendedorismo, enquanto nutre sua mente, corpo e alma.

Você terá acesso a alguns dos líderes de pensamento mais inspiradores do mundo, que mostrarão como transformar suas crenças limitantes em uma realidade libertadora.

Nosso Objetivo é educar nas áreas de espiritualidade, bem-estar e empreendedorismo e promover a consciência do amor em todo o mundo. Simplesmente, para preservar e melhorar a vida humana.

Nosso Visão é colaborar com os líderes de pensamento mais influentes do mundo para, coletivamente, mudar a energia mundial de uma vida baseada no medo para uma vida baseada no amor por meio da comunicação e da educação.

Nosso Missão é produzir recursos e eventos de mudança de vida que espalham a consciência do amor e aumentam a vibração coletiva em nosso planeta. Também temos a missão de criar 10.000 impactos por meio de nosso evento Loved Up, e nos associamos ao Beusail para dar amor toda vez que alguém escolher um impacto. Para cada pessoa que escolhe um impacto, Beusail doará $ 1 para um projeto de sua escolha dos ODS das Nações Unidas.

Registre-se para criar um impacto hoje - aqui.

Se você está pronto para aumentar seus níveis de energia, aprofundar sua conexão espiritual e aprender como servir sua comunidade abundantemente, então não procure mais, pois o Retiro Virtual Get Loved Up 2021.

Mostre a si mesmo um pouco de amor priorizando o seu autocuidado e obtenha acesso para toda a vida ao Retiro Get Loved Up, comprando o replay do retiro- aqui

Os preços do replay estão sujeitos a subir, então não espere . Compre HOJE.

* Replays de todas as sessões estão disponíveis para assistir imediatamente após a compra.

Até então, compartilhe este retiro com quantas pessoas você puder e seja amado. Ame a si mesmo, ame os outros e ame o mundo, um dia de cada vez, uma respiração de cada vez

Como um presente para a comunidade Get Loved Up, preencha o formulário abaixo e obtenha uma cópia digital do livro de Koya Webb: Deixe seus medos torná-lo feroz.


Quando: 27 a 28 de setembro de 2019
Onde: Berg Auditorium, Huck Life Sciences Building
Quem: Aberto a todos, é necessário registro

O retiro de Bioinformática e Genômica 2019 será realizado na sexta-feira, 27 de setembro e sábado, 28 de setembro e contará com Dra. Jane Carlton, da New York University como orador principal. Ela apresentará sua palestra: "Caracterizando o Microbioma Urbano de Nova York". Haverá também uma ampla variedade de palestras para professores e alunos, sessões de pôsteres e um workshop. O retiro é aberto a todos e a participação é gratuita, mas você deve se inscrever antes do dia 18 de setembro. O registro nos fornece o número de funcionários que é fundamental para a organização do evento.

Sessão de Pôster: Nós o encorajamos fortemente a trazer um pôster para o retiro. A sessão de pôsteres será realizada concomitantemente ao almoço de sábado.

Lightning Talks: Estaremos realizando duas sessões de palestras relâmpago para alunos de graduação. A palestra relâmpago terá duração de 90 segundos e você terá permissão para usar apenas UM slide em PowerPoint. Caso tenha interesse em apresentar seu trabalho neste formato, cadastre-se. Observação: você faz não tem que apresentar um pôster para fazer uma palestra relâmpago.

Oficina: Como explicar seu trabalho para a família / amigos fora das ciências: um workshop de comunicação científica. Este workshop dirigido por alunos será realizado no sábado. Os alunos aprenderão sobre os principais fatores das comunicações científicas e sairão do workshop com uma "fala de elevador" de dois minutos, pronta para uso.


História de Pendleton SC (c.1790)

Linha do tempo pictórica da história e evolução de Pendleton, SC, uma das cidades mais antigas do interior de SC. Pendleton foi a casa de John C. Calhoun e uma vez um resort de verão para as pessoas ricas de Charleston.

Faça login para ver os comentários

Seja o primeiro a curtir isso

  1. 1. História de Pendleton, SC Linha do Tempo e História pictórica Liderança Pendleton 2013 Class
  2. 2. Na Fronteira
  3. 3. On the Frontier 1777 índios que se aliaram aos britânicos durante a Revolução desocuparam a maior parte de suas terras no interior do estado após uma grande derrota para os patriotas. 1785 Assinatura do Tratado de Paz no Tratado de Oak com Cherokee, Choctaws e Chickasaw cederam oficialmente suas terras na Carolina do Sul
  4. 4. A Evolução do Distrito de Pendleton, 1785 Os seis distritos judiciais coloniais anteriores foram divididos em condados e muitas das terras Cherokee recentemente adquiridas tornaram-se parte do Distrito Noventa e Seis. 1788 A Carolina do Sul tornou-se oficialmente um estado. 1789 As terras indígenas anteriores foram divididas em dois condados, a parte ocidental de 1.870 milhas quadradas tornou-se o condado de Pendleton e a parte oriental tornou-se o condado de Greenville. 1791 Os condados de Pendleton e Greenville tornaram-se parte do novo distrito de Washington com Pickensville como sua cidade-sede. 1800 Devido ao aumento da população, o condado de Pendleton tornou-se seu próprio distrito, com a vila de Pendleton como centro judicial. O censo de 1800 para o distrito de Pendleton foi de 20.052, incluindo 2.224 escravos, tornando-o o quarto distrito mais populoso, atrás dos distritos de Charleston, Beaufort e Colleton. 1816 As últimas terras indígenas no canto NE do estado foram adicionadas ao Distrito de Pendleton, aumentando para 1.940 acres quadrados.
  5. 5. Fundação de Pendleton em 1789 Os comissários selecionados para estabelecer o novo tribunal do condado de Pendleton compraram 885 acres de Isaac Lynch, localizado no centro do novo condado de Pendleton, na interseção das estradas que levam aos territórios Cherokee e Catawba e ao sul de 18 Mile Creek. 1789 Samuel Loftis, o primeiro xerife do condado de Pendleton e um comissário, construiu um prédio de tijolos de dois andares em terras que mais tarde ficaram conhecidas como Plantação de Ashtabula. John Miller, um comissário e impressor, construiu sua casa no local selecionado para a aldeia Pendleton. Sua casa não está mais de pé. 1790 Vila de Pendleton formalmente estabelecida com 55 lotes urbanos. Um tribunal de registro temporário foi construído N. da praça pública atual. Venda de terreno listada no Livro A, página 1. 1793 Primeira empresa mercantil de Wadsworth, Turpin e Steele estabelecida em Pendleton por Wm Steele no lado S. da praça pública, agora localização do Village Baker Cafe. Steele foi o primeiro postmaster de Pendleton com os correios em sua loja. Lowther Hall, uma das casas mais antigas ainda existentes no centro de Pendleton, construída por Wm. Caçador. 1800 Plantadores de Low Country começaram a comprar terras na área para especulação
  6. 6. O primeiro colonizador de Andrew Pickens Pendleton, 1785, general Andrew Pickens. Um dos primeiros colonos na área, construiu uma grande casa de toras em 573 acres ao longo do rio Seneca e estabeleceu a Hopewell Plantation. (Agora na propriedade da Clemson University no condado de Pickens) 1789 Pickens fundou a Igreja Presbiteriana Hopewell-Keowee no condado de Pendleton (agora condado de Pickens) perto de sua plantação. O edifício era uma estrutura de madeira que ardeu durante a década de 1790. Pickens designou um comissário do condado para ajudar a estabelecer Pendleton Village. 1802 A Igreja Presbiteriana Hopewell, agora conhecida como Igreja de Pedra Velha, foi concluída substituindo a estrutura da igreja de madeira anteriormente queimada. 1805 Andrew Pickens desocupa Hopewell para se mudar para Tomassee, uma vez que Pendleton Village se tornou “muito povoada”. Deixou Hopewell para o filho.
  7. 7. O crescimento inicial de Pendleton como Courthouse Town em 1807 Inauguração do Miller’s Weekly Messenger (John Miller, Publisher), o jornal mais ocidental do país na época. Tornou-se o Mensageiro Pendleton após sua morte e mais tarde assumido por Fred. Symmes como editora. 1807 A revista “The Farmer and the Planter” também começou a ser publicada em Pendleton. 1810 - 1814 Muitos Charlestonians ricos começaram a construir plantações de verão na área de Pendleton para escapar do medo de que Charleston fosse queimada pelos britânicos na Guerra de 1812, bem como por seu clima saudável e oportunidades para a agricultura. A sociedade de Charleston trouxe sua cultura e amenidades com eles, criando um ambiente interior “elegante”. 1815 Pendleton Farmer’s Society é fundada, Thomas Pinckney primeiro presidente (ainda em operação hoje)
  8. 8. Pendleton, resort no início do verão 1815 - 1825

1810 1811  Novo tribunal de tijolos permanente construído em praça pública.  Primeira prisão construída em praça pública  Biblioteca circulante fundada com dinheiro público, operada até 1925. 1819 Igreja Episcopal de São Paulo organizada por novos residentes do país baixo 1821 Nova prisão de tijolos de dois andares construída fora da praça em W. Queen St. (agora uma residência, Marshalsea) 1822 Santuário da Igreja de São Paulo concluído 1824 Nova Igreja Presbiteriana maior construída na Rua E. Greenville para ficar mais perto da cidade, substituindo a Antiga Igreja de Pedra.

1825  Male Academy established on land where Town Hall and Anderson School Dist 4 buildings now located  Two hotels opened (Tom Cherry’s Inn and the Eagle Hotel)  Beyond the village lay the fairgrounds 9. Maverick Family in Pendleton 1802 Samuel Maverick was a successful businessman in Charleston in the mercantile business of Wadsworth, Turpin (uncle) and Maverick … married daughter of Robert Anderson in Pendleton in 180.2 1802 1809 Samuel Maverick built his summer plantation house “Montpelier”

4 miles E. of town on 4,400 acre farm on site where Refuge Baptist Church now located (SC88). He made it his permanent home in 1809 after loosing a child to yellow fever in Charleston. House burned in 1848 and new larger house built on hilltop across SC88. 1809 Samuel Maverick bought mercantile business of Wadsworth, Turpin and Steele (on square) to become one of area’s wealthiest businessmen. 1810 - 1852 Samuel Maverick buys significant amount of land to become one of the largest landowners SC, AL and GA 1837 Son Samuel Augustus (Gus) Maverick moved to AL and then to Texas where he was a lawyer and politician.

  • 10. “ If any American had wanted to lay his finger on the pulse of Southern public opinion between 1825 and 1850, he would have found no better place for that purpose than Pendleton, South Carolina.” . . . Margaret L. Coit “John C. Calhoun, American Portrait” Pendleton 1825 – 1850 The Acknowledged Center of Business, Government and Culture for Entire Upstate
  • 11. Pendleton

    1826 Largest Town in SC Upstate

  • 12. Pendleton’s Transition from Courthouse Town 1826 1828 New brick Courthouse begun on public square Before completion, the SC Legislature voted to divide Pendleton District into Anderson and Pickens Districts due to increasing population. Pendleton continued to serve as courthouse town until 1828 when the new courthouses completed in Anderson and Pickens. • New jail on W. Main St. sold and converted to Female Academy. • Courthouse purchased by Farmer’s Society as meeting hall. • Famer’s Society completed construction.
  • 13. Agricultural Economy 1800-1835 Invention of workable cotton gin made upland cotton (short- staple) most cost effective cash crop in the Upstate. Beginning in mid-1830’s Low cotton prices and depletion of soil caused by one-crop farming causing many SC planters sons to move to new cotton lands further west (Alabama , Mississippi and Texas ). 1837 Panic of 1837 (depression) caused 850 US banks to close and rendered cotton and tobacco crops as well as paper currency worthless. 1825-1850 Since Anderson & Pickens Counties were settled much later than the southern Piedmont and Lowcountry, fewer large scale plantations were developed prior to the decline of cotton. As a result, Anderson County was less effected by the decline of the cotton industry.
  • 14. Agricultural Economy 1840 - 1850 Anderson County was second largest producing county for wheat and also produced rye, oats, corn, cotton, potatoes and livestock as well as butter and cheese, flax, silk, honey and beeswax Wealthy Charlestonians continued their summer migration to Pendleton and the local population continued to grow. There were about 20 small plantations in the Pendleton area each employing about 30 slaves making the Pendleton area one of the largest concentration of black slaves in the Upstate. No farm employed more than 70 slaves.
  • 15. John C. Calhoun in Pendleton  In 1826, after a long sojourn in Washington City, then Vice President John C. Calhoun choose to buy a farm in the Pendleton area to revitalize his career in SC politics and because of the area’s good climate and agriculture.  Calhoun presence in Pendleton from 1826 – 1850 gave Pendleton a significant standing in the political arena leading up to the Civil War.  John C. Calhoun was Vice President of the US under Presidents J.Q. Adams and Jackson (1824 – 1832) and leading Senator from SC from 1832 – 1850 (Calhoun’s senate seat now occupied by Sen. Lindsey Graham).
  • 16. Calhoun’s Nullification Doctrine 1826 - 1833 Calhoun set the stage for the session of the Southern States leading to the Civil War with his doctrine of Nullification. Calhoun formulated “Nullification” doctrine as a result of the Tariff Act of 1824 which imposed a tariff on the importation of European goods to protect the New England manufacturers from foreign competition. Since three-fourths of the South’s rice, cotton, and indigo was traded in Europe under a system of barter and exchange returning home with needed goods, the 50% increase in tariffs by 1818 on imported items needed in the South and the potential for European countries to impose a retaliatory tariffs would essentially eliminate its European market and force the South to sell to the Northern manufacturers at whatever price was offered or… change its industry base completely.
  • 17. US Customs Tariff Tariff on imported goods was implemented in 1789 to generate income to pay Revolutionary war debts but continued to be the largest source of Federal income until income tax enacted in 1913. Initial duty rates were very low . . . 5 – 12% of value of imported goods. Evolved into a protective tariff and therefore a divisive issue setting New England, the Southern and the Western States against each other leading up to the Civil War.
  • 18. History of US Tariffs 1816 First protective tariff on imports enacted to protect emerging US industry and designed to 1) develop profitable home market for US goods and 2) provide funds for internal improvements including the building of the Erie Canal. Customs Duty Rate = 20 – 25% of value of imported goods. 1824 Tariff duty rate increased to 37% of value of imported goods 1828 Tariff duty rate increased to 45% of value of imported goods – referred to as the “Tariff of Abomination” by Southern states 1833 Compromise Tariff reduced duty rates over 8 years (1842) to level of 1816 tariff 1842 Tariff duty rate returned to 32% of value of imported good essentially overturning the compromise tariff 1857 Economic “panic” – tariff duty rates reduced again to

    20% 1861 (early) Morrill Tariff Act increased duty rate by 5 – 10% bringing them back to levels of 1846.

  • 19. Impact on South Carolina Economy  By 1840, SC no longer the leading cotton producing state as soil became depleted.  By 1850, Charleston no longer part of direct European trade route, became satellite of NY, Boston and Philadelphia ports as result of ever increasing protective tariffs.  Anti-business climate prevailed although 18 small textile factories including one in Pendleton emerged in the Upstate to compete with New England
  • 20. Pendleton . . . A microcosm of South Carolina and the entire antebellum South Largest town in the Upstate by 1825 Pendleton was made up of Scots-Irish yeomen farmers employing both free labor and a few slaves and small local businessmen, artisans and manufacturers living comfortably, elbow- to-elbow, with wealthy planters employing slave labor on large farms . . . .
  • 21. Pendleton 1830’s 1830 Charles Cotesworth Pinckney completed the house at Woodburn Plantation. He served as Lt. Gov. under Gov Hayne during nullification crisis in1832-33 1830 – 1834 James Butler Bonham practices law in Pendleton prior to going to Texas where he second in command at the battle of the Alamo. 1832 William Knauff, cabinet maker from Charleston, set–up shop on Duke Street, brought to Pendleton by Mrs. Calhoun. Famous Duel between Benj. F. Perry of Greenville Sentinel (Unionist) & Turner Bynum (Nullifier) on island in Tugaloo River during Nullification Crisis. Bynum mortally wounded, buried at St. Paul’s churchyard 1834 Pendleton Methodist Church founded 1835 Pendleton Jockey Club chartered with a race trace in fair grounds
  • 22. Pendleton 1840’s 1838 Pendleton Manufacturing Co. incorporated as textile mill by Enoch B. Benson, W.H.D. Gaillard, and the Sloans (John T., Thomas M., Benjamin F.) located S. of town in what is now LaFrance. One of first in SC. 1840 Pendleton Methodist Church building completed (burned in 1939). 1842 Pendleton Baptist Church founded and church built (building replaced in 1951). 1848 Mrs. John C. Calhoun leads drive to raise funds to purchase a pipe organ for St. Paul's. Samuel Maverick’s house “Montpelier” burns and rebuilt.
  • 23. Pendleton 1850 - 1860 1850 Second oldest commercial building still standing on public square build by Jesse Lewis as a store (now known as Hunter’s Store) 1850 John C. Calhoun dies in Washington, returned to SC and buried with great ceremony in St. Phillips’s churchyard in Charleston. The other members of Calhoun’s family buried at St. Paul’s Churchyard in Pendleton. Rev. John Adger, Presbyterian minister from wealthy Charleston family, buys and expands Woodburn Plantation. James T. Latta buys and expends Ashtabula Plantation. 1860 New Guard house (jail) and market house built on public square.
  • 24. Blue Ridge Railroad Comes to Pendleton 1830’s Originally the dream of John C. Calhoun to connect SC via Pendleton District with emerging markets in the north. 1854 Construction finally begins on the Blue Ridge Railroad to run between Anderson and Knoxville 1858 Blue Ridge Railroad finished through Pendleton connecting Pendleton with Anderson via rail then points north and South from Anderson. 1859 Construction on Blue Ridge Railroad halted N. of Walhalla (Stump house Tunnel) by the high cost on construction (fraud, the high price of imported iron, lack of local engineering expertise) and the subsequent withdrawal of funding by the State.
  • 25. Pendleton’s Railroad Depot Moved to Cherry St. and now Senior Center
  • 26. Pendleton Village 1857
  • 27. Plantation Houses and Antebellum Houses In Existence Today Ashtabula, Bee House, Benson House, Boxwood, Carver Randall House, Edans House, Elam Sharp House, Fort Hill, Gaillard House, Gallows Hall, Liberty Hall, Mi Casa, James Hunter House, Hopewell, Jenkins House, Lowther Hall, Magnolia Hall, Marshalsea, Montpelier, Poe House, Simpson House, Sitton House, Sleepy Hollow, The Glenn, The Retreat, Thomas Pickens House, Vine Hill
  • 28. Edens House Located at corner of W. Main & Mechanic St.
  • 29. Mi Casa c. 1830 - S. Mechanic St. (1902 with water tower in background)
  • 30. Mi Casa today complete with water tower
  • 31. Lowther Hall c. 1793
  • 32. Lowther Hall Today
  • 33. Liberty Hall, c. 1849 Built by Thomas J. Sloan as seen in 1969 before restoration
  • 34. Liberty Hall Also known as Harris Hall
  • 35. James Hunter House c. 1860 before restoration after 1929
  • 36. James Hunter House Today
  • 37. Jenkins House c.1830 Build by Dr. William Seabrook Jenkins (Cherry St. at Depot St.)
  • 38. Built as blacksmith shop, c. 1840 Civil War Headquarters of Jones Rifles Located next to James Hunter House
  • 39. The Glen c. 1830’s (MiCasa Dr.)
  • 40. Sitton House c. 1854
  • 41. Sitton House (prior to 1929)
  • 42. Woodburn before 1970’s restoration
  • 43. Woodburn c. 1830 US76, across from TriCounty Tech Moorhead Cabin 1810 and Adger carriage house (reproduction)
  • 44. Ashtabula c. 1825 Old Greenville Hwy Original House c. 1789
  • 45. Thomas Pickens House c. 1860 118 N. Elm St.
  • 46. Rena Jones Clark House (c.1786) First Black woman to lead a Pendleton School (currently undergoing restoration)
  • 47. Poe House, c. 1860 as it looked c. 1970 and currently 203 N. Elm St.
  • 48. Marshalsea, c. 1821 Built as Jail then as a Female Academy & finally became a private residence L. 112 W. Queen St.
  • 49. Boxwood, c. 1810 Built by Wm. Robertson, later owned By J.B. Earle and John T. Sloan
  • 50.  Elam Sharp House c. 1802  Built by William Steel,  1st postmaster of Pendleton Located on E. Queen St
  • 51. Benson House (on original site on E. Queen)
  • 52. Benson House c. mid 1800’s Moved from E. Queen Street (site of bank bldg) to N. Maine in 1970’s for restoration
  • 53. Benson House c. (only left portion original) Renovation /expansion never completed
  • 54. Hopewell c. 1785 (Built by General Andres Pickens ) Off Old Cherry Rd. - Clemson
  • 55. Montpelier c. 1849 - Built by Samuel Maverick Old Greenville Hwy, across from Refuge Baptist Church
  • 56. The Retreat c. 1840’s Located on Danehower Rd.
  • 57. Pendleton Area Plantations Houses and Antebellum Houses - No longer Existing Altamont, Altamont II, Alexander, Arcadia, Boscobel, Campobello, Chestnut Hill, Cherry Hill, Flat Rock, Cold Spring, Grumblethorpe Hall, Keowee, Long House, Mount Jolly, Mountain View, Oaklawn, Pepperino, Portman Shoals, Rivoli, Rossdale, Rusticello, San Salvador, Seneca, Shady Side, Silver Glade, Tanglewood, Tip Top, The Hive, Vacambrose, Westville, Wheatland
  • 58. Hunter House c. Located at corner Of S. Broad & E. Main Burned
  • 59. Altamont, c. 1830 Built by Thomas Pinckney (now gone) – Fant’s Grove Rd.
  • 60. Boscobel c also known as Rockfield when owned by Samuel Prioleau Located in what is now Boscobel Golf Course On US 76.
  • 61. Poplars c.1800 Later known as Pickens House Portoco added c.1830, originally had one-story porch. Located on Cherry St. Extension, burned
  • 62. Tanglewood (burned 1970’s)
  • 63. Ruins of Tanglewood today Burned in 1970’s
  • 64. Seneca, c. 1845 on Seneca River (Now Gone)
  • 65. Mount Jolly, c. 1795 (burned early 1900’s) Home of Taliaferro family (Simpson Farm, off Lebanon Rd.)
  • 66. Lead up to Civil War Two of Most Significant Issues leading up to Civic War . . . . all of which impacted life in Pendleton:  Protective tariff’s on imports  Moral & Economic issue of “Slavery”
  • 67. Pendleton - Civil War Years 1860 South Carolina succeeded from the Union, the first state to do so, setting the stage for the beginning of the Civil War. Pendleton’s population was 854 including

    50% slaves, larger than Anderson, Edgefield, Abbeville, Laurensville, and Hamburg. 1861 Many Charlestonians & residents of Columbia took refuge in Pendleton during war years since no conflict in the area. Blue Ridge House (hotel) in downtown Pendleton advertised in Charleston newspaper as alternative to popular Northern summer resorts and very accessible via Blue Ridge railroad The Adger family from Charleston acquired four plantations in Pendleton, Woodburn, Ashtabula, Boscobel and Rivoli as their war refuge. 1861-65 The bell at St. Paul’s would toll out the bad news when the train brought word of a local death. The bell was later donated to be melted down to make ammunition. May 1865 Sherman’s troops commanded by Gen. Geo. Stoneman came through Pendleton in search of Jefferson Davis and the Confederate treasury. (“Stoneman’s Raid”)

  • 68. Pendleton – Reconstruction Years 1865 – 1871 Climate of terrorism existed across state and particularly in Upstate as white Democrats rebelled against government by Republicans and freed former slaves. Most of people who took refuge in Pendleton left after the war, many never to return. 1868 Thomas Green Clemson, in his capacity with the Farmer’s Society, begins advocating the establishment of an agricultural college to teach improved farming methods. 1870 A.M.E. Church established with church on Vance St. behind Hunter’s Store, replaced in 1957 by present A.M.E. King’s Chapel. James Hunter purchases Lewis’s store on town square which operates until new store built next door in 1929. 1873 Jesse Cornelius Stribling (Rossdale and later Sleepy Hollow farm) had first registered herd of Jersey cattle in SC and one of first in SE. – The beginning of SC dairy industry. Cattle continues to be Anderson County’s primary agricultural product. 1874 Silver Springs Baptist Church established at foot of Hunter’s Hill on old road to Clemson. New church built in 1926 on new road to Clemson. 1876 “Red Shirt” brigades from towns all over state supported Wade Hampton III election to Governor under the slogan “Force without Violence” that helped end reconstruction. 1877 One of last two states to be released from military rule under reconstruction
  • 69. Pendleton at the End of 19th Century 1880 Hunter’s store wooden warehouse built behind Hunter’s Store (still standing) 1882 Jane Edna Harris Hunter, African-American activist and reformer, born on Woodburn Farm and later founded the Phyllis Wheatley Assoc. after moving to Cleveland, OH. Recognized by Ohio as one of its top 20 “Heroes”. 1889 Clemson Agricultural College founded under the terms of Thomas Green Clemson’s will and welcomed first class in 1893 including Gov. Tillman’s son. A. T. Smythe, member of Adger family & owner of Woodburn, was one of Clemson’s first Trustees and watched the building of the campus from Woodburn’s “widow’s walk”. Atlanta – Charlotte Air Line Railroad (now Norfolk Southern) built the main line to the NE through Seneca, and Central completely bypassing Pendleton thereby creating an economic development disaster for the town located only on a branch line connecting through Anderson. 1893 Present Presbyterian Church built on S. Broad St. Rev. John Adger delivered the last sermon at the old church and first at the new church. 1893 Blue Ridge Plant of the Pendleton Manufacturing Co. (textile co.) built on Blue Ridge St 1896 Clemson College fielded its first football team.
  • 70. Pendleton Area - 1897
  • 71. Pendleton in Early Twentieth Century 1907 April Fools day student “strike” by a large number of Clemson cadets in “drag” included a march to Pendleton resulted in the formation of the “Pendleton Guards” and an annual student event in Pendleton. Town of Clemson yet to emerge. 1911 One story addition to the Guard House, building later housed the Pendleton Library. 1920’s The high cotton prices, diverting land from food production and leading to a high cost of living, setting the stage for the devastating effects of the boll-weevil & great depression. 1929 SC28 Hwy through Pendleton widened, paved (formerly dirt), and rerouted in places impacting town square and frontage of historic structures in town. 1930’s Many of the large antebellum houses could not be maintained and became “apartment houses” for tenant farmers owned by absentee landlords and often housing 2-3 families. Tenant farmers flocked to the textile mills as boll-weevil devastated cotton crops 1935 Federal Government through Resettlement Act purchased 29,625 acres (about 150 farms) of worn-out, eroded farm land and leased it to Clemson College for their use and remediation. (Woodburn was included in this buy-out). Lands deeded to Clemson in 1954.
  • 72. Pendleton – Post WWII 1947 - 1950 Pendleton town fathers persuaded Milliken to build their new finishing plant and later the Gerrish Milliken plant just outside Pendleton bringing jobs to Pendleton. 1950’s US76 Hwy improvement project bypassed downtown Pendleton, passing through Woodburn Farm instead, thus preserving its historic town square and character.

    1958- 1961 US Corp of Engineer’s Lake Hartwell project to dam the Savannah River and flood a proposed 9,000 acres of farm land, mostly belonging to Clemson College, did result in the flooding of the ruins of many of antebellum plantation houses along the Seneca River. 73. Town of Pendleton

    1950

  • 74. Beginning of Economic Development and Tourism in 1960’s Foundation for Historic Restoration in the Pendleton Area (name later changed to the Pendleton Historic Foundation) founded by members of Clemson College Architecture Dept. and Pendleton Farmer’s Society to preserve Woodburn (owned by Clemson University) and other historic structures which were in danger of being lost. Ashtabula given to the Foundation for Historic Restoration by Mead Paper Company to preserve it and to serve as a house museum for the interpretation of local culture. Tri County Technical College founded with 300 students first year(1962) to help with economic development of Tri County area. Located in Pendleton along US 76 on former Woodburn Farm property.
  • 75. Expansion of Tourism Clemson University deeds Woodburn to the Foundation for Historic Restoration for Restoration in the Pendleton Area. The Foundation for Historic Restoration begins a program to erect Historic Markers in the area beginning with (1) John Ewing Colhoun/Keowee on road from Clemson to Daniel HS (2)Hopewell/Hopewell Indian Treaties on Old Cherry Rd. Pendleton District Historical & Recreation Commission established by the SC Legislature to preserve the area’s history and to promote tourism in the Tri-County area. Foundation for Historic Restoration in conjunction with the Anderson, Greenville, Oconee, and Pickens Historical Societies hosts the Second SC Landmark Conference. The National Trust for Historic Preservation sponsors a tour of the Upstate and Pendleton as part of their annual meeting in Charleston.
  • 76. Pendleton Historic District Established 1972 Pendleton Historic District, the largest in the US at the time, was listed on the National Register of Historic Places in 1972. Bounded on west by Hopewell and Treaty Oak, on east by Montpelier, north by Old Stone Church, south by town limits. Ashtabula and Woodburn were individually listed and opened as house museums.
  • 77. Map of Pendleton Historic District 6,300 acres extending from Old Stone church to Montpelier (c.1969)
  • 78. Description from National Register Nomination Form “The Pendleton Historic District derives its primary significance from the antebellum structures which reflect Pendleton’s early history. Also included in the district are some later 19th century structures which demonstrate Pendleton’s more recent growth and are, in appearance and feeling, compatible with the earlier periods.”
  • 79. Revitalization of Downtown  Over the years, there have been many proposals to revitalize downtown Pendleton and take advantage of its historic character  Some have been accomplished, many not due to cost involved  Preservation ordinances recently established for downtown commercial area that will assist in seeking revitalization grants
  • 80. Later Economic Development  Economic development in the area brought in Westinghouse & Michelin plant (Sandy Springs) and various Clemson Univ. facilities.  The historic “quaint” character of Pendleton continues to attract tourists and new residents.  Ashtabula and Woodburn Historic House museums attract

    10,000 visitors for tours, weddings, and special events.  Pendleton Spring Jubilee attracts

    30,000 visitors for a 2-day event

  • 81. Pendleton 2010
  • 82. What does the Future Hold?  Preservation of the historic district’s historic structures and environment must play a key role.  Use of these historic structures and environment to develop a route to sustainable economic growth
  • 83. Pendleton Historic Foundation PHF plans to increase visitation at our historic houses from 10,000/yr to 20,000- 25,000/yr within 10 years.  By expanding our educational focus and offering monthly special programs and tours  By refocusing the use of Woodburn for use as a venue for weddings and similar guests sponsored events that include house tours
  • 84. Weddings at Woodburn
  • 85. PHF Historic Pendleton Program  Reinstating the famous Pendleton Historic House Tours in 2012 that were held annually or semi-annually since the 1950’s that were discontinued over 10 years ago.  Encouraging the Town to apply for Preserve America and Certified Local Government status to raise awareness and to make eligible for improvement grants.  Promote the historic downtown for unique tourist oriented businesses.
  • 86. Promotion as Movie Set  Encourage use of town and historic houses as sets for movies  Developing documentary firm on Life of Jane Edna Hunter firmed at Woodburn and in Pendleton to be shown on ETV, History Channel, film festivals, etc. Promo of film on “YouTube” link below: https://www.youtube.com/watch?v=g9ARDBA4zDA&feature=youtube_gdata_player
  • 87. Pendleton’s Historic Markers  Erected in the 1960-70’s by Anderson county, Pendleton Historic Foundation, Pendleton District Commission and other groups.  The newest market for “The Hundreds” was installed with the last 2 years.  There are many historic sites in area yet to have a marker
  • 88. Pendleton’s Historic Markers On E. Queen/ Town Square
  • 89. Pendleton’s Historic Markers On Mechanic Street side of Town Square
  • 90. Pendleton’s Historic Markers On E. Queen St. at N Broad St.
  • 91. Pendleton’s Historic Markers St. Paul’s Church Yard
  • 92. Pendleton’s Historic Markers Old Cherry Rd - Clemson
  • 93. Pendleton’s Historic Markers St. Paul’s Churchyard
  • 94. Pendleton’s Historic Markers Old Greenville Hwy
  • 95. Pendleton’s Historic Markers US76 across from Tri County Tech
  • 96. Pendleton’s Historic Markers Vance Street
  • 97. Pendleton’s Historic Markers Located on West Queen St. In front of the Pendleton Community Center Commemorating Pendleton's Rosenwald School (burned) and the Faith Cabin Library
  • 98. Hopewell Treaty Marker Old Cherry Rd., before crossing Lake
  • 99. Pictorial History of Pendleton  Historic Downtown Commercial Areas  Churches, the Lifeblood of our Community
  • 100. Hunter’s Store c. 1850 E. Queen St.
  • 101. Hunter’s Store Today
  • 102. Hunter’s Store early 1900’s
  • 103. Hunter’s Store Warehouse, c. 1880
  • 104. Farmer’s Hall (before 1928)
  • 105. Pendleton Village Green,

    1880-1900 Guardhouse before front addition & Well house left

  • 106. Guardhouse Today
  • 107. E. Main St. (early 1900’s ?)
  • 108. E Main, about 1935
  • 109. E. Main St. 1960’s, Center Portion c. 1793
  • 110. Exchange St. (1900-1920)
  • 111. Exchange Street Today
  • 112. Looking South on Mechanic St. Horse-trading Convention, 1910
  • 113. 4th of July Parade (1905)
  • 114. “Red Shirt” Reunion on Square (1896 or 1906’s?)
  • 115. Smith Oil Co c. 1935
  • 116. Pendleton’s early 20th Century Jail Vance St. - behind Hunter’s Warehouse
  • 117. Keese Barn (antique barn & social hall) W. Queen St. (now gone)
  • 118. Keeses’s Barn Memorial West Queen St.
  • 119. Degan Faith Cabin Library
  • 120. Faith Cabin Libraries  Rev. W. L. Buffington, Prof. of Sociology at Pine College in Augusta, GA proposed in the early 1930’s to build a small library by the side of every black rural school in Ga & SC.  First Faith Cabin Library was built in Edgefield SC in 1932 and in all 28 were built by black volunteers who asked their white employers to allow them to cut trees for logs to build the libraries – Rev. Buffington supplied the books.
  • 121. Faith Cabin Libraries  Per their black builders : “We had nothing to go on but faith. That’s what built them all, faith, hard work and the generosity of thousands of people willing to share their books.”  The Degan Faith Cabin in Pendleton (c.1935) is one of the 2 last surviving examples in SC and was built next to Pendleton’s Rosenwald School (now gone).
  • 122. Old Stone Church c. 1802 Burial place of General Andrew Pickens and Robert Anderson
  • 123. Pendleton Presbyterian Church Old Greenville Hwy, c. 1824 Corner Mechanic& Broad Sts., c. 1893
  • 124. St. Paul’s Episcopal c. 1822
  • 125. Pendleton Methodist Church c. 1834, burned c. 1939 Rebuilt using original front stained class window, later enlarged
  • 126. Pendleton Baptist Church c. 1843
  • 127. King’s Chapel AME Church Congregation est. 1867 (original church building was on E. Main St.)
  • 128. Silver Springs Baptist Church The newly restored 1874 church on Jackson St. (not active – used For events) The current Church On N. Mechanic St. c.1926
  • 129. Aerial View of Blue Ridge Mill (1902)
  • 130. Aerial View Baptist Church & Blue Ridge Mill (1902 from water tower at MiCasa)
  • 131. Pendleton Blue Ridge Mill Today
  • 132. Smythe Family at Woodburn The simple things made us happy back then…
  • 133.  Non-profit, volunteer-run organization founded in 1960  Mission: An educational organization dedicated to the restoration and preservation of historic properties in the Pendleton area and the interpretation of the diverse history and cultural heritage of the area.  Programs:  Preservation of Ashtabula and Woodburn Historic Houses  Development and interpretation of these sites as major Upstate heritage tourism sites including living history demonstrations  Educational programs on our region’s contribution to the state’s and nation’s cultural heritage for both young and mature minds  Historic Pendleton & Historic Homeowners Assoc., a community outreach preservation program to provide education and assistance to owners of historic structures in the area

  • Assista o vídeo: Sustentabilidade Aula 1: Compostagem - introdução